Tretas do Trutis! Depois de “sumir”, agora deputado acusa ex-mulher de violência contra os próprios filhos

Após ficar fora dos holofotes da mídia por uns dias, o deputado federal Loester Trutis (PSL/MS), mais conhecido como “Tio Trutis”, voltou com carga total e já provocando as suas tradicionais polêmicas. O alvo agora é a ex-mulher, que foi tema do “nobre” parlamentar em um suposto desabafo nas redes sociais em que pede que os pais “ouçam suas crianças” e acusa ela de violência psicológica e física contra os filhos do casal. Por sua vez, a ex-esposa alega que, para preservar os filhos, não irá comentar sobre mais essa atitude “nefasta” do ex-marido.

Alheio ao depoimento da ex, o deputado federal apelou para o textão. “Hoje a redação escolar da minha filha [nome omitido], de apenas 10 anos de idade, partiu o meu coração. Poucas vezes eu usei a minha rede social para falar da minha vida pessoal. Não falei aqui quando fui acusado injustamente de ter abandonado os meus filhos, mesmo eles sempre tendo morado comigo, não falei quando fui acusado de ter amantes, mesmo tendo um relacionamento que começou anos depois de uma separação. Eu não abandonei a minha ex-mulher, como noticiam muitos portais do MS, eu terminei uma relação para salvar os meus filhos de terror e abusos, físicos e psicológicos”, começou no desabafado.

Segundo “Tio Trutis”, antes de ser parlamentar, ele passava o dia com os filhos e trabalhava durante a noite, enquanto a ex e mãe das crianças estava em outra cidade. “Desde muito cedo, ouvi relatos de surras desnecessárias, de castigos desnecessários e de terror psicológico… até que um dia, em que eu cheguei do trabalho e vi as marcas de uma surra desmedida, ouvi sobre os castigos que incluíram horas trancados em um quarto e dormir sem alimentação, a situação ficou insustentável. Foi naquele dia que eu coloquei as crianças no carro no meio da noite, as levei para jantar, pois até aquela hora não haviam comido nada e fui com elas para a casa da minha mãe. No dia seguinte, retornei e busquei a minha mudança: duas malas de roupas minhas, algumas roupas e brinquedos das crianças, deixando para trás móveis de luxo, toda parte eletrônica da casa, TVs, computadores, cozinha, enfim… eu só queria tirar os meus filhos dali”, continuou.

Ainda conforme o parlamentar, por vezes, ele tentou manter “a casa das crianças”, com a rotina em Brasília. “Fiz um quarto para os meus filhos no meu funcional, mas como ainda estudavam em Campo Grande, pedi para que a minha mãe estivesse com eles nos dois dias por semana em que eu estivesse fora, garantindo que eles não apanhassem, mesmo assim não deu certo.  A pandemia chegou e eu, enfim, consegui estabilizar o meu trabalho na base, reformei a casa da minha mãe, e atendi ao pedido dos meus filhos para morarem apenas comigo”, explicou.

O deputado, então, cita uma rotina, onde as crianças passariam 15 dias com ele e um fim de semana com a mãe. “Não demorou muito, eles viram os relatos dos castigos e das surras, pedindo, de forma cada vez mais frequente, para não retornarem à casa da mãe. Chegou ao ponto do meu filho [nome omitido], hoje com 8 anos, se esconder dentro do meu carro para que eu não o deixasse na casa da mãe; da minha filha [nome omitido], hoje com 5 anos, ter pesadelos na noite anterior ao dia de ir para a casa da mãe e também quando retornava. Chegou ao ponto da minha filha [nome omitido], minha primogênita, escrever em um dos seus diários que desejava dormir e nunca mais acordar, do que ter que ir à casa da mãe”, explicou.

Trutis garante ser 100% responsável pelos gastos financeiros dos filhos, entre custos de educação, alimentação, saúde, lazer e apoio psicológico. “Com os relatórios da avaliação psicológica que recebi, confesso a vocês que fiquei alguns dias sem dormir. Meus 3 filhos relataram aos profissionais traumas com a dificuldade da minha filha caçula em ir ao banheiro, por lembrar das surras que tomava da mãe biológica quando ela ainda tinha três anos, segundo o relatório, a [nome omitido] passou a segurar as suas necessidades fisiológicas depois de ser abandonada suja no banheiro por diversas vezes. Meu filho [nome omitido] se escondia atrás do sofá, debaixo da cama, passou a ter um senso de incapacidade e muita dificuldade de concentração escolar devido às várias surras para fazer tarefa, ou por ficar preso no escritório sujo, ele aprendeu a pedir socorro pela janela, por temer ser trancado quando estava de castigo; e que o princípio de depressão e pânico da minha filha [nome omitido] se dava devido ela sofrer alienação parental durante todas as 48 horas do final de semana que passava com a mãe, ouvindo que o pai dela era um bandido, que seria preso e que ela ia acabar como uma criança abandonada”, continuou o deputado do desabafo.

Ainda na postagem, “Tio Trutis” afirma que, hoje, são 120 dias que as crianças não têm contato com a mãe e, durante o período, apresentaram evolução. “A melhora no desenvolvimento psicológico deles é notória, assim como o sorriso e a alegria em seus rostos”. Ao final, ele conclui acusando a ex-esposa de focar em aparências e não oferecer afeto e cuidado com os filhos.

“Não contribui com nenhuma despesa de seus filhos, nem sequer oferece a eles qualquer cuidado ou afeto diário, resume seu papel de mãe a uma mensagem de “bom dia” e por vezes nem isso, durante os últimos 120 fez apenas uma ligação telefônica para as crianças com duração de cerca de 5 minutos, sua grande preocupação – como pode ser rapidamente constatado no relato de seus filhos – nunca foi o bem-estar deles, mas sim a sua carreira e as aparências nas redes sociais…Quase que diariamente, em suas redes sociais são postadas fotos dos meus filhos, sempre antigas, sempre com legendas afetuosas, demonstrando um carinho que nunca houve”,  lamentou.

O parlamentar alega que ensina os filhos que amor se paga com amor, mas que o laço de sangue não dá direito de ninguém os subjugar. “Não é porque uma criança está sorrindo em uma foto na internet que ela está feliz, às vezes é apenas porque depois de um dia de castigo ela não recusou um pirulito ou um passeio na praça, sorrir para uma foto não indica está ou sentir-se segura, ninguém tira uma foto chorando quando está dentro de uma piscina, as necessidades de uma criança estão além de uma rede social. Esse não é um relato de um parlamentar, é um desabafo e um alerta de um pai”, finalizou.

Procurada, a ex-mulher do “Tio Trutis” destacou que devido à ação estar em segredo de justiça e, principalmente, para preservar os filhos, não iria comentar sobre mais essa atitude “nefasta” dele. Além disso, ela pontuou que a vantagem de não se envolver em mentiras e trabalhar honestamente é ter o reconhecimento de índole por todo o Estado, nos 78 municípios.

O advogado de defesa da mulher também pontuou que a cliente irá se pronunciar apenas no processo onde se discute direitos relacionados ao poder familiar renunciando assim ao tribunal social das mídias sociais em nome da preservação inegociável de seus filhos. Da mesma forma, seus representantes legais se limitam à atuação estritamente processual. Com informações do site TopMídiaNews