Polícia Civil prende em Cassilândia quadrilha de ladrões de caminhões que veio do Mato Grosso

Agentes da Polícia Civil de Cassilândia (MS), com apoio de investigadores da Polícia Civil de Paranaíba (MS), prenderam, na manhã desta quinta-feira (12), uma quadrilha de ladrões de caminhões que agia na região e estava planejando mais um assalto para o período da noite. Os criminosos presos durante a operação dos policiais civis são todos do município de Várzea Grande (MT) e estavam na costa leste de Mato Grosso do Sul roubando caminhões para levar para o Paraguai.

Segundo o delegado Rodrigo de Freitas, da Delegacia de Polícia Civil de Cassilândia, foram presos Werley Ferreira dos Santos, 24 anos, Wesley dos Santos Davino, 25 anos, Rhaul Hugo Nunes de Arruda, 19 anos, e Arnaldo dos Santos Soria Júnior, 26 anos, que foram autuados por uso de documento falso, associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo e tentativa de roubo. Além disso, foram apreendidos com os assaltantes um revólver calibre 38, com seis munições intactas, dois aparelhos celulares das marcas Samsung e Motorola e dois automóveis, sendo o Fiat Uno placa HET-4797, de Várzea Grande (MT), e o Corsa placa KCO-5662, também de Várzea Grande (MT).

O delegado informou que os quatro assaltantes foram presos pela equipe do SIG (Setor de Investigações Gerais) de Cassilândia com apoio de investigadores da Polícia Civil de Paranaíba quando estavam almoçando no restaurante de propriedade de Laudemiro Ferreira de Freitas. Eles foram abordados e levados para a Delegacia de Polícia Civil de Cassilândia, sendo que a equipe também cumpriu um mandado de busca e apreensão no Hotel Paraíso dos Sonhos, onde os assaltantes estavam hospedados.

Na Delegacia, eles assumiram a autoria pelos últimos roubos a caminhões registrados na região de Cassilândia e Paranaíba e confessaram estar planejando um novo assalto no período da noite para levar os veículos e as respectivas cargas para o Paraguai. Os assaltantes informaram que cabia a Arnaldo conduzir o caminhão roubado até o Paraguai, enquanto Rhaul mantinha como refém o motorista no meio do mato até que o veículo chegasse ao Paraguai.

Já Wesley era o responsável por retirar os equipamentos de rastreamento via satélite do caminhão roubado e Werley ficava no apoio para levar alimento ao local do cativeiro do motorista, incluindo, se necessário, medicamento para a vítima. Werley chegou a apresentar aos policiais o documento do irmão dele, Emerson Ferreira dos Santos, já que tinha contra si três mandados de prisão em aberto.