Pavonice e diárias levam PGJ de MS para julgamento do STF. Será que pelo menos aprendeu alguma coisa?

Essa quarta-feira (04-04) vai ficar marcada na História do Brasil quando a Corte Suprema do País votava o “habeas corpus” ao ex-presidente Lula num processo extenso que trata sobre corrupção, enquanto isso diversos procuradores do Ministério Público dos Estados figuravam na plateia, inclusive o de MS, Paulo Passos.

Eles têm defendido que seja mantido o posicionamento da corte a favor da execução de prisões após a tramitação de processos em segunda instância.

Portanto, aqui em MS deveremos, digo, deveremos ver Passos cobrando do Tribunal de Justiça o cumprimento da tal medida cravada pelo STF ontem. E olha que tem muito gente pendurada essa segunda condenação. Aguardemos.

Mas a pergunta fica: Por que os procuradores figuravam no plenário? É mesmo necessário a presença de alguns deles? Foram poucos que estiveram lá.

Pavonice, diárias e uma certa aula de como atuar em procedimentos complexos. Será que eles aprenderam?

Alguns deles se deram bem e figuraram em matéria da grande imprensa…outros, nada.

Eles opinaram principalmente sobre a ausência do Ministro Gilmar Mendes que pediu para adiantar o voto devido a uma viagem marcada para Portugal….

“Vai eu faltar em audiência judicial por causa de compromisso particular. PAD [processo disciplinar] na certa!”, comparou a procuradora Hayssa Medeiros, da Paraíba.

“Gilmar Mendes já tá dando carteirada na ministra Rosa”, disse o procurador de Goiás Wesley Miranda Alves.

A votação do Supremo decide sobre o habeas corpus de Lula mas pode ter influência sobre outras prisões ordenadas após julgamento de segunda instância.

Os procuradores também fizeram outras referências em publicações, como à afirmação em rede social do comandante do Exército general Eduardo Villas Bôas, de que repudia impunidade.

Helio Telho, do Ministério Público Federal em Goiás, postou uma foto com a imagem de militares em uma mesa olhando para a câmera e sorrindo. Eis a foto abaixo.

Enquanto isso, nosso Paulo Passos passou desconhecido pela mídia e mostrou muita sonolência durante os debates sobre o assunto. Vai vendo!!!!

A assessoria de imprensa do MPE/MS não informou os valores das diárias que o Procurador Geral  Paulo Passos recebeu para viajar à Brasília.