“O que vocês querem? Você é um babaca!”, Giroto agride repórteres na sede da PF. Veja o vídeo!

Depois de forma covarde agredir uma repórter do Midiamax que estava trabalhando, cumprindo seu papel, o ex-deputado e discípulo do ex-governador André Puccinelli, Edson Giroto ainda ofendeu a imprensa fazendo pose para fotos e xingando repórter.

Essa foi a cena lamentável e repugnante da manhã de hoje na sede da PF em Campo Grande.

 

Veja abaixo a matéria do Midiamax:

O ex-deputado federal e ex-secretário estadual de obras, Edson Giroto, chegou à sede da Superintendência Regional da Polícia Federal em Campo Grande na manhã desta sexta-feira (9), e agrediu a repórter do Jornal Midiamax.

A jornalista Mariana Rodrigues e o repórter fotográfico Cleber Gellio aguardavam a chegada dos réus acusados no âmbito da Operação Lama Asfáltica, em frente à sede da Polícia Federal, quando Giroto desceu de um carro de luxo e se dirigiu com veemência na direção dos dois.

Proferindo ofensas e exaltado, o ex-deputado agride a repórter Mariana Rodrigues com um tapa e xinga o repórter fotográfico, antes mesmo de entrar no prédio, acompanhado do advogado Valeriano Fontoura.

Após a agressão gratuita e inexplicável contra a equipe de reportagem do Jornal Midiamax, Edson Giroto entrou sorridente na sede da Polícia Federal, onde já cumpriu prisão em 2016.

O ex-deputado é um dos córreus, juntamente com o empresário João Amorim, que estavam livres graças a um habeas corpus revogado esta semana pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Com a decisão do Supremo, os acusados de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos, devem voltar para a prisão, de onde haviam saído poucos dias após a detenção na segunda fase da Operação Lama Asfáltica, Fazendas de Lama, deflagrada em maio de 2016.

Agressão

A jornalista Mariana Rodrigues era a única mulher na cobertura de imprensa da chegada dos réus da Lama Asfáltica na sede da PF na Capital, e foi justamente a única vítima da agressão por parte de Giroto.

Curiosamente o ex-secretário e ex-deputado, acusado de diversos crimes contra o patrimônio público, ignorou a presença de repórteres do sexo masculino e desferiu um tapa contra a jornalista.

A agressão aconteceu horas após o mundo ter comemorado o Dia Internacional da Mulher, e deixou a jornalista com marcas pelo corpo. Com gana e determinação, Mariana continuou a cobertura das prisões.

Um boletim de ocorrência por agressão contra o ex-secretário e ex-deputado, investigado pela PF por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos, foi lavrado no 7º DP.