Atrasadinhos! Após crimes ambientais ganharem mídia nacional, MPE abre inquéritos contra fazendas

Bastou a Rede Globo, por meio do programa dominical Fantástico, tornar público nacionalmente o risco de que as ações irregulares de produtores rurais da região Bonito pode pôr fim ao paraíso das águas cristalinas para o MPE (Ministério Público Estadual), via 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Bonito, instaurar, de uma só vez, seis inquéritos civis por desmatamentos e quatro por armazenamento de agrotóxico em propriedades rurais localizadas no município.

É a velha máxima de colocar uma tranca na porta depois que foi arrombada, mas, alheio a isso, o MPE instaurou, conforme publicado na edição nº 1.952, do Diário Oficial do órgão, desta segunda-feira (22), o Inquérito Civil nº 06.2019.00000059-6 para apurar irregularidades ambientais na Fazenda Princesinha I, consistente no desmatamento de 96,9592 hectares de vegetação nativa sem autorização dos órgãos ambientais. Na mesma linha foi instaurado o Inquérito Civil nº 06.2019.00000060-8 para apurar irregularidades ambientais na propriedade rural localizada na coordenada geográficas WGS 84: 20º46’12.37″S, 56º30’16”.10 O, consistente na supressão de 54,0691 hectares de vegetação nativa sem autorização dos órgãos ambientais.

Já o Inquérito Civil nº 06.2019.00000061-9 apura irregularidades ambientais na propriedade rural localizada nas coordenadas geográfica n. WGS 84: O 56 32 57.295 S 20 41 5.981, consistente no desmatamento de 22,93 hectares de vegetação nativa sem a devida autorização do órgão ambiental. O Inquérito Civil nº 06.2019.00000196-2 apura o desmatamento de 13,62 hectares de vegetação nativa na Fazenda Santa Maria, sem autorização dos órgãos ambientais.

No Inquérito Civil nº 06.2019.00000190-7 apura o desmatamento de 93,14 hectares em área de mata atlântica, na propriedade denominada São Rafael, sem autorização dos órgãos ambientais, enquanto o Inquérito Civil nº 06.2019.00000058-5 apura o desmatamento de 77,84 hectares de vegetação nativa, dividas em 5 áreas, na Fazenda Ceita Corê.

Agrotóxicos

Para apurar irregularidades no armazenamento de agrotóxico, o MPE instaurou o Inquérito Civil nº 06.2019.00000410-4 para averiguar possível irregularidade no armazenamento de agrotóxico na Fazenda Vale do Prata, decorrente do auto de infração do N. 9138410-E, do IBAMA. Também na mesma linha tem o Inquérito Civil nº 06.2019.00000412-6 para apurar irregularidade no armazenamento de agrotóxico na Fazenda Arco-Íris, conforme constatado no auto de infração n. 9138412-E do IBAMA.

O Inquérito Civil nº 06.2019.00000414-8 apura irregularidade no armazenamento de agrotóxico na Fazenda Lagoa Azul, conforme auto de infração n. 9218704-E do IBAMA, enquanto o Inquérito Civil nº 06.2019.00000449-2 apura irregularidade no armazenamento de agrotóxico na Fazenda Anhumas, conforme auto de infração n. 9218706-E do IBAMA. Agora, é esperar para verificar se todos esses procedimentos vão dar em alguma coisa.